Músicas

Rossi & Elas – Parte II

Está pertinho do Dia Internacional da Mulher e muita gente ficou empolgada com minha sugestão para um possível de Reginaldo Rossi com cantoras dividindo canções com o rei. O nome do cd poderia ser, inclusive, Rossi & Elas.

 

Ninguém melhor para sugerir as cantoras e músicas do que o biógrafo de Reginaldo Rossi, meu amigo Wilde Portela. Vejam só as sugestões de Wilde para Rossi & Elas:

 

- Kátia (Tenta Esquecer)

- Roberta Miranda (Não Quero Mais Saber de Ti)

- Joanna (Era Domingo)

- Wanderléa (Deixa de Banca)

- Diana (Desterro)

- Joelma, da Banda Calypso (Não Quero Mais Saber de Ti)

- Michelle Mello (Pra Sentir Felicidade)

- Lilian (Um Romance Que Ninguém Leu)

- Silvinha Araújo (Vou Começar Tudo de Novo)

- Fafá de Belém (Estou Chegando Pra Ficar)

- Rosana (Ser ou Não Ser)

- Cláudia Leite (Pedaço de Mal Caminho).

 

E meu também amigo Josué Ribeiro, pesquisador da música popular brasileira também deu excelentes palpites:

 

- Diana (Eu Devia Te Odiar)

- Elba Ramalho (Garçom)

- Amelinha (num forró de primeira)

- Nalva Aguiar (A Volta)

- Perlla, a do funk (Sai de Mim)

- Fernanda Takai, do Pato Fu, (Mon Amour Meu Bem Ma Femme)

- Elza Soares (A Raposa e As Uvas)

 

A leitora Regina Cavalcante também opinou: - Marisa Monte (A Raposa e as Uvas).

 

E você? Tem mais alguma opinião?

 

Se você fizer uma capa para o cd, ganhará um exemplar autografado do meu livro “Lobas, Deusas e Ninfetas”. Mande uma mensagem por meio do link Fale comigo e deixe seu e-mail para que eu entre em contato.

 

E se você souber de outras gravações de Reginaldo Rossi que já existam com outras cantoras, além de Roberta Miranda e Rosemary, favor informar nos comentários.

Fogo e Paixão em várias línguas

Não sei por qual motivo, uma ruma de gente está chegando por aqui ao procurar pela versão em inglês de Fogo e Paixão, sucesso de Wando. Então, atendendo apedidos, com vocês Fire and Love:

You are light

Ray, star and moonlight

A Sunny morning

My Yaya, my yoyo

You are yes

And never my no

 

When, so crazy

Kiss me in the mouth

Love me on the ground

 

E agora em espanhol:

 

Fuego y Pasión

Tú eres luz

Rayo, estrella y lunar

Mañana de sol

Mi yaya, mi yoyo

Tú eres si y nunca mi no

Cuando tan loca

besame en la boca

Me coge en el suelo

Em francês:

 

“Feu et passion”

Vous êtes lumière

Vous êtes rayon, étoile et lune

Matin du solei

Mon iaia, mon ioio

Vous êtes oui, et jamais mon non

Quand tant folie, me baisse à la bouche et m’aime au terasse

 

Em alemão:

du bist Licht
bist Blitz, Sterne und Mond
Morgen mit sonne
Meine Jaja, mein Jojo
du bist Ja
und nie mein Nicht
wenn ganz verrückt
mein Mund kusst
und liebt mich auf dem Boden

Assine o feed deste blog e receba todas as atualizações:
http://contosbregas.rssblog.zip.net/

E não se esqueça: De perto, ninguém é chique!

A árvore genealógica da trajetória amorosa da prima de Evaldo Freire

Agradeço imensamente ao jornalista Wilde Portela, autor do livro Reginaldo Rossi, um fenômeno, que me enviou desde Recife alguns cds de astros bregas. Dentre eles, os 20 Super sucessos de Evaldo Freire, cantor que é meu conterrâneo e eu não sabia.

 

Pois vinha eu ouvindo o cd no meu carro, quando me deparei com o primeiro verso da música Meus Primos: “O meu primo casou-se com minha prima”. Até aí, tudo bem. Hoje em dia, primo com prima não é mais tão chocante assim.

 

Mas eis que algumas estrofes depois, eu ouço: “Deixou meu primo por um primo do meu primo/ Um primo dele, um primo dela e meu irmão”. Aí minha cabeça começou a enrolar. Que prima safada, bicho!

 

E ela não parou por aí, não. Veja só a última estrofe: “E há uns dois meses, meu irmão levou a prima/ Para uma festa e encontrou com outro primo/ A minha prima deixou logo meu irmão/ Por outro primo, irmão do primeiro primo”.

 

Clique aqui para ouvir a música "Meus Primos" de Evaldo Freire e acompanhe a letra aí embaixo.

Alguém aí pode fazer uma árvore genealógica da trajetória amorosa desta prima? Acho que nem Nelson Rodrigues poderia ter pensado numa trama dessas...


Meus primos

Evaldo Freire

 

O meu primo casou-se com minha prima

Para fazer de mim um pobre sofredor

Foi ao contrário, pois quem está sofrendo é ele

Porque a prima por outro primo deixou

 

A minha prima deu muita dor de cabeça

Aos seus pais que não sabem o que fazer

Vendo a mesma morando com seus sobrinhos

Desesperado, desejou a filha morrer

 

Que prima falsa essa prima do meu primo

Agora sei que ela não tem coração

Deixou meu primo por um primo do meu primo

Um primo dele, um primo dela e meu irmão

 

E há uns dois meses, meu irmão levou a prima

Para uma festa e encontrou com outro primo

A minha prima deixou logo meu irmão

Por outro primo, irmão do primeiro primo

Ouça o sucesso de Roberto Muller em espanhol, com Barbarito Diez

Ontem, eu falei da versão da música Entre Espumas, sucesso do cantor Roberto Muller. Como disse, a versão original é cubana e cantada por Barbarito Diez.

 

Eu ofereci um livro meu para quem mandasse o arquivo da versão original em mp3. Pois bem, o vencedor da promoção foi a própria fonte da informação: o blogueiro Waldílio Siso.

 

Agora, sim, você pode escutar Entre Espumas, em espanhol, com Barbarito Diez (clique no link para ouvir). Se quiser ler a letra em espanhol basta conferir no post anterior.

 

Márcio Benjamin perguntou nos comentários se este Barbarito Diez é um dos integrantes do Buena Vista Social Club. Eu realmente não sei. Alguém sabe?

 

Você conhece outras versões de músicas bregas em outras línguas? Quais?

Sucesso de Roberto Muller é versão de música cubana

Os bregueiros lá do Paiuí conhecem muito bem o cantor Roberto Muller. Ele fez sucesso com a gravação de Entre Espumas (clique no link para ouvir), que traz o esplendoroso e sábio refrão “Um amor que surge numa mesa/ Entre espumas terá que terminar”. Vejam a letra.

 

Uma noite sentou-se a minha mesa
E entre tragos, lhe dei todo meu amor
Transcorreram só duas semanas
Como em sonho minha vida se acabou

Desde então, os rios do meu pranto
Confortavam a cruz da minha dor
Ninguém sabe que meus males são tão grandes
Que me partem o coração

Mas conforta e eu sei que está em minhas mãos
Aliviai-me desta amargura
Se um amor nasceu de uma cerveja
Outra cerveja beberei para esquecer
Um amor que surge numa mesa
Entre espumas terá que terminar

 

Waldílio Siso, do blog Piauí, Arte e Cultura revelou que a versão original desta música é cubana, composta por Luis Marquetti e interpretada por Barbarito Diez, conhecido por aquelas bandas como “príncipe del danzón”. Veja a letra em espanhol:

 

Una noche se sentó a mi mesa
y en las copas bebí todo su amor
transcurrieron sólo dos semanas
tras las cuales mi vida se llevó.

Desde entonces los hilos de mi llanto
entretejen la cruz de mi dolor
nadie sabe que mis penas son tan grandes
que me doblan el corazón.

Mas no importa yo sé que está en mis manos
el olvidar mi desventura
si este amor nació de una cerveza
otra cerveza beberé para olvidar
un querer que surge en una mesa
entre espumas se debe de olvidar.

 

Quem mandar o mp3 da versão cubana para mim ganha um exemplar do livro Contos Bregas. Se você tem o arquivo, deixe seu e-mail nos comentários, que eu entro em contato. Si tienes la mp3 de “Entre Espumas", con Barbarito Diez, envíamela, por favor.

Veja o hilariante vídeo de 'Lé Télephone Pleure', versão original de 'O Telefone Chora', um clássico da World Brega Music

Você deve conhecer a canção “O telefone chora” na voz de Márcio José. É aquela mesma que grudava nos seus ouvidos e que mostrava o diálogo emocionado de um pai com sua filhinha pequena.

 

Mas talvez você não saiba que ela é uma versão da canção francesa Lé Télephone Pleure. Em 2004, eu já havia posto os links para as letras da canção em espanhol, inglês e italiano, e também em português.

 

Eu também fiz um conto inspirado no “Telefone Chora”, um dos mais comentados dos Contos Bregas. Lembro até de um comentário estranho que uma pessoa que assinou como Sandra deixou no final do conto:

 

“Eu passei a vida inteira rezando para ele estar morto. Se o encontrasse vivo, o mataria. ... Todos os meus complexos, todas as minhas culpas... tudo culpa dele. Matá-lo era a única saída.”

 

Por que estou dizendo isso tudo? Só para informar que eu achei o clipe original da canção francesa no Youtube e dizer que é muito brega. Mas brega mesmo! Vejam aí na telinha e me digam se este ventríloquo fazendo a voz da criança não é muito tosco. Deleitem-se com esta pérola da World Brega Music.

De quando acertei que uma canção faria sucesso. Próxima profecia: sucesso nacional da Belina Mamão

Modéstia à parte, tenho um ótimo faro para identificar músicas de sucesso. Já tive a oportunidade de ouvir grandes canções quando ainda eram desconhecidas e dizer “Esta vai tocar no Brasil inteiro”.

 

Isto aconteceu quando, muitos anos atrás, um amigo trouxe-me de presente uma fita cassete (é o novo!) lá do norte. Quando meu antigo toca-fitas de dois decks (é o novo!) passou uma canção cujo refrão dizia “cavalo manco, agora eu vou te ensinar, isso e muito mais você só vai encontrar no Pará” eu disse para mim mesmo: esta é pra valer!

 

Anos mais tarde, a Banda Calypso já era conhecida do Brasil inteiro e freqüentadora assídua dos programas de auditório dominicais. É verdade que teve um cara aí que os chamou de imbecil. Mas essa é outra história...

 

Outra vez flagrei um vaqueiro do interior nordestino ouvir no seu radinho de pilha uma voz muitíssimo estridente cantando uma letra esquisita que falava de batatas na terra e de uma mulher insaciável que apareceu de repente, quando o compositor estava tão distante...

 

Eu percebi a grande empolgação do vaqueiro acompanhando em alta voz o refrão “me diz o que ela significa pra mim” e pensei: esta música vai estourar! Algum tempo depois, Morango do Nordeste recebeu inúmeras versões em diferentes gêneros musicais. Teve até um cover cearense do Elvis Presley, chamado Elzio Silver que fez uma versão americana para a canção, intitulada de Strawberry of Northweast. Mas essa também é outra história.

 

Também um punhado de anos atrás, lembro que baixei umas mp3s no Kazaa (é o novo!). Eram umas cúmbias divertidíssimas que usava para aprender espanhol. Eu adorava uma delas, na qual o cantor xingava sua musa de mentirosa. Hoje, Mentirosa é sucesso obrigatório nos shows de forró aqui do Nordeste.

 

Mas porque estou dizendo tudo isso? É só para justificar porque estou apostando tanto no sucesso nacional da banda Belina Mamão, a que chamo carinhosamente de melhor banda de brega da Via Láctea e arredores.

 

Eu já havia aprovado totalmente a proposta da banda e sua irreverência. Mas quando soube que seu trabalho era autoral, resolvi escutar o cd dos caras. E é simplesmente demais! É brega da mais alta qualidade!

 

Por isso, escolhi a Belina Mamão para fazer o show do lançamento de meu livro Lobas, Deusas e Ninfetas. Foi um sucesso! Agora, os caras já se apresentaram no Clube do Brega da Tv Diário, arrasaram no Mada e foram citados no jornal O Globo. Não vai demorar muito para estarem nos palcos da Globo. Pode anotar aí!

 

E agora, a Belina Mamão já tem até site oficial. Para comemorar mais esta vitória, você pode baixar aqui a música Um Cara aí, cuja letra segue aí embaixo.

 

Um cara aí
Letra e Música: Junior Mandrix

Ela tá atrás de um cara aí pra se dar bem
Ela tá atrás de um cara aí que faça bem
Ela tá atrás de um cara aí pra namorar
Ela tá atrás de um cara aí pra se casar

Passou o dia inteiro procurando um cara aí
E não sabia o que ia encontrar
O sonho dela é encontrar um cara aí
Que faça a sua vida e o seu corpo delirar
De amor

O seu corpo delirar....de amor
O seu corpo melhorar... de amor

Tudo sobre “Você não me ensinou a te esquecer”, que acaba de ser gravada em italiano

Eu tinha apenas um aninho de idade quando um cantor romântico de cabelos longos e encaracolados gravou uma belíssima canção de amor.

 

A música era Você não me ensinou a te esquecer. O cantor, Fernando Mendes. E o ano, 1979.

 

Passaram-se décadas para que eu pudesse conhecê-la. Quando aconteceu de ouvi-la pela primeira vez, pensei que a música coubesse muito bem na voz de Caetano Veloso. Dito e feito. Anos mais tarde, Caetano gravaria a canção, com arranjos de violino, para a trilha sonora do filme Lisbela e o Prisioneiro.

 

A música estourou no Brasil inteiro. Gente que a achava brega na voz de Fernando Mendes, achou muito chique na voz de Caetano Veloso. Puro preconceito, já que a música é a mesma. Mas o sucesso foi tanto que a música foi indicada para o Grammy Latino 2004.

 

Já escrevendo meu livro Contos Bregas, decidi incluir um conto inspirado no sucesso de Fernando Mendes. Epigrafado pelos versos “Você bem que podia perdoar. E só mais uma vez me aceitar. Prometo agora vou fazer por onde nunca mais perdê-la!”, o conto Você não me ensinou a te esquecer traz a história de um adolescente que perde a namorada ao traí-la com a melhor amiga dela, numa boate. Quem leu disse que o final é surpreendente!

 

Além de Caetano, muitos outros artistas gravaram a canção, como Bruno e Marroni, Cristian e Half, entre outros. Eu lembro até de tê-la ouvido em ritmo de forró. Mas agora, ela foi gravada em italiano por um cantor chamado Paolo. Você pode até baixar a versão italiana da canção, chamada "Non ho imparato a dimenticarti", no site oficial de Paolo.

 

Apesar disto, eu não encontrei a letra em lugar nenhum na Internet. Se alguém que souber italiano puder ouvir a música e transcrever a letra aí no campo dos comentários, ganha um exemplar gratuito e assinado do meu livro Contos Bregas.

 

Posts relacionados

Conto Cadeira de Rodas

Tudo sobre o site de Fernando Mendes

World Brega Music – Parte I

World Brega Music – Parte II

Belina Mamão no MySpace

E a melhor banda de brega da Via Láctea e arredores, Belina Mamão, já está no MySpace. Anote aí o endereço:

 

http://www.myspace.com/bandabelinamamao

 

Lá você pode ouvir, baixar e ler as letras dos principais sucessos da Belina: Passeando na Belina, Um cara aí, Fulera e Pneu furado.

 

Vá lá e ouça tudo. E veja só aí embaixo a letra do sucesso Passeando na Belina. Simplesmente demais!

 

Passeando na Belina
Letra e música: Franci Lee flores

Não tive freios
Pra bater o olhar em cima
Quando vi aquela menina
A temperatura esquentou

E como um farol
Acendeu meu coração
E na belina mamão
Um lugar ela ganhou

Domingão vamos sair – na belina mamão
Sair pra se divertir – na belina mamão
Eu to louco pra te ver – na belina mamão
To passando pra pegar você

Quando o seu corpo
Encostou juntinho ao meu
A longarina tremeu
E me eu um para choque

Vamos casar
Em frente a um frei de mãos
Dadas numa comunhão
Só separada na morte

Quero você
Sendo o motor de partida
para brisa da minha vida
Bater a nosso favor

E junto iremos
Eu e você na belina
Pode faltar gasolina
Mas não vai faltar amor

Permalink

O maior analista político de todos os tempos é brega de carteirtinha!

Me desculpe, Arnaldo Jabor! Perdão, Mino Carta! Mil desculpas, Diogo Mainardi! Foi mal aí, Alexandre Garcia! Nada pessoal, Noblat!

 

Mas o maior analista político que esse país já viu chama-se Falcão. Ele mesmo, o cantor brega, que escreveu o prefácio do meu livro.

 

Vejam só que primor de análise ele fez na música Ordem e Progresso, incluída no seu mais novo cd What porra is this?

 

Ordem e Progresso

Falcão

 

Se cada ladrão fosse um soldado
Se cada corrupto fosse um canhão
Já estaríamos preparados
Pra defender na guerra a nação
Se todo mentiroso fosse feito de ouro
E cada estelionatário valesse dinheiro
Dava pra pagar toda nossa conta
Junto ao capital estrangeiro
Se toda CPI fosse de vera
Ia faltar cadeia no país
Se satanás morasse em Brasília
Seria, com certeza, aprendiz
Se político sem vergonha fosse areia
E fila-da-puta fosse pedra-de-mão
Dava pra fazer na Rio-Bahia
Uma nova pavimentação
Se cada ladrão fosse um soldado
E cada corrupto fosse um canhão...

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


QUEM SOU EU

Jornalista,escritor, bancário, potiguar, 29 anos

Meus Livros


    Visitante número: